Atividade Física

Atividade Física - Parte 2

A importância do ferro para atividade física

O ferro é necessário para a produção de energia pelas células. Na sua carência (mesmo sem haver anemia), o trabalho muscular é comprometido.

Apenas para lembrar, mulheres que menstruam, que estão gestantes ou que já pariram, homens e mulheres que doam sangue, apresentam risco elevado de deficiência de ferro, independente de como se alimentam.

Na sua carência, há preguiça para começar a atividade física, ela rende menos e a pessoa pode terminar o treino muito cansada. Quando a deficiência é muito antiga, e a pessoa está adaptada, algumas delas até acham que seu rendimento no treino está adequado, mas quando começam a repor o ferro, percebem a nítida diferença na disposição e rendimento.

Treinar com deficiência de ferro predispõe à lesão muscular.

Correção da deficiência de ferro se faz com medicamento, e não com alimento. Quem treina, deve manter sempre um bom estado nutrológico de ferro.

Creatina

Quando nosso músculo contrai, gastamos energia. Para repor essa energia, temos possibilidades diferentes. Uma das formas é aguardar que as células musculares, utilizando o carboidrato, gordura ou a própria proteína, produzam a energia necessária para repor o que foi utilizado na contração. Assim, recarregamos a energia gasta.

Outra possibilidade é utilizarmos uma forma de “recarregamento” muito rápida. Quem faz isso é a creatina. Ela guarda uma quantidade pequena de energia e, quando o músculo é exigido com grande intensidade, por períodos curtos, ela pode fornecer energia para manter a contração muscular.

Isso significa que a creatina terá importância em atividades de “explosão muscular”, como levantamento de peso e 100 metros rasos. Mas ela, via de regra, não será importante para atividades que de longa duração, como corrida de longa distância.

Nosso corpo monta a creatina por meio de aminoácidos ingeridos. Vegetarianos têm creatina muscular, mas onívoros costumam ter quantidade maior que vegetarianos. Apesar dessas diferenças encontradas entre vegetarianos e não vegetarianos, os estudos avaliando a performance desses indivíduos, mostram resultados com poucas diferenças.

A suplementação de creatina (para vegetarianos ou não) pode ter espaço para atividades competitivas profissionais, onde a explosão muscular é determinante para atingir os resultados almejados, mas raramente tem importância para quem faz atividade para o bem estar e saúde.

Não utilize creatina sem avaliação médica, pois seu uso pode ser nocivo.

Atleta não dorme pouco e nem de barriga cheia!


Mas há exceções. Se você é um lutador de Sumô, ou quer ficar como eles, coma tudo o que agüentar e depois vá dormir. Caso contrário, siga o que vou recomendar.

Termine seu jantar (sem excessos), no mínimo, 2 horas antes de dormir. Não é para dormir com fome, mas o estômago deve estar praticamente vazio ao ir para a cama.

É durante a noite que o hormônio de crescimento tem sua ação. Esse hormônio é muito importante para otimizar o ganho de massa muscular.

Se você dorme de estômago cheio, e/ou dorme pouco, a produção desse hormônio é prejudicada, assim como o ganho de massa muscular.
Quem não respeita o sono e o descanso, pode anular o benefício da atividade física.

Alimente-se de 3 em 3 horas

Há vários motivos para fazer isso. Vou destacar um deles, apenas.

Se você fica muito tempo sem se alimentar, o músculo é “destruído” para produzir carboidrato (glicose).

Nosso cérebro utiliza predominantemente a glicose como fonte de energia. Quando permanecemos muito tempo sem ingerir carboidratos, nossa massa muscular é destruída, pois da proteína (presente no músculo) podemos criar carboidrato (glicose).

Suplementos para melhorar a fadiga e a performance?


Muita calma nessa hora! Aqui mora um grande perigo.

Se existem deficiências nutricionais, elas devem ser corrigidas, pois muitas delas prejudicam o metabolismo e, consequentemente, a performance na atividade física. Mas é muito diferente corrigir algo que estava insuficiente de utilizar algo para “ir além”.

Quando há deficiências nutricionais, a alimentação está inadequada, o sono irregular, o descanso insuficiente ou o treino inadequado, o músculo não responde tão bem quanto deveria. Nessas situações, basta corrigir essas irregularidades para ter uma performance adequada. O uso de suplementos, nessas condições se faz com o propósito de devolver ao organismo sua capacidade natural de trabalho. Ou seja, estava faltando, e por isso a correção faz efeito.

Quando o organismo está metabolicamente ajustado, ele consegue chegar no seu limite. E é aqui que entra sua percepção para não desgastá-lo.

Utilizar qualquer produto com a finalidade de ir além do seu limite, traz desgastes e lesões.

Atividade física para a saúde e bem estar é uma coisa, para fins competitivos ou profissionais é outra. A determinação do ponto onde quer chegar é o que vai determinar sua forma de treinar, se alimentar ou suplementar. Todo excesso causa lesão, desgaste e compromete a saúde.

Se é a saúde que está em foco, tenha em mente corrigir tudo que faz seu corpo funcionar mal. Esse é o melhor tônico para otimizar seu rendimento físico.

  • Hits: 9638