Nutrientes

Vitamina B12 (tudo sobre a B12)

Vitamina B 12, ou Cobalamina, é um dos nutrientes mais comentados quando pensamos na alimentação vegetariana.

Há razões claras para a B12 estar em foco, mas também há exageros ao pensar que essa preocupação é apenas para vegetarianos.

Entremos em acordo: vitamina B12 e cobalamina são sinônimos!!

Nesse artigo vamos conhecer essa vitamina hidrossolúvel (solúvel em água) de cor rosa.

Recomendo que, após essa leitura, leia o texto “Vitamina B12: 30 informações importantes”, onde apresento os principais pontos de dúvidas que as pessoas têm.

Histórico

Em 1824 já existiam relatos de uma doença (anemia perniciosa), geralmente fatal em 1 a 3 anos após o seu diagnóstico.

A solução terapêutica surgiu apenas em 1926 quando George Minot e Willian Murphy demonstraram que a ingestão diária de uma dieta contendo bife de fígado levemente cozido levava a uma remissão da anemia após alguns meses.

A vitamina B12, ou Cobalamina, foi isolada pela primeira vez em 1948 simultaneamente nos Estados Unidos e na Inglaterra.

Em 1963 foram descobertas suas primeiras funções metabólicas.

Em 1979 as suas funções metabólicas foram elucidadas e a sua síntese concluída.

Desde o seu desenvolvimento histórico 2 prêmios Nobel foram recebidos devido a ela.

Para que serve a B12 ?

Resumidamente: para a formação do sangue, manutenção do sistema nervoso e funcionamento normal da vitamina B9 (ácido fólico).

Quanto precisamos ingerir dessa vitamina ?

Precisamos absorver (transportar do intestino para o sangue) 1 mcg de B12 por dia.

Como a absorção dessa vitamina é cerca de 50% da quantidade ingerida, a recomendação de ingestão é dobrada e acrescida de uma margem de segurança.

As doses recomendadas podem apresentar pequenas variações de um estudo para outro, mas as que utilizamos como referência são:

IDADE mcg/dia
0 a 6 meses 0,4
6 a 12 meses 0,5
1 a 3 anos 0,9
4 a 8 anos 1,2
09 a 13 anos 1,8
Acima de 14 anos 2,4
GESTAÇÃO 2,6
LACTAÇÂO 2,8


A B12 E OS ALIMENTOS

Como essa vitamina é formada ?

A cobalamina é fabricada (sintetizada) por bactérias.

Portanto, são as bactérias quem produzem a vitamina B12.

Se são as bactérias que produzem a B12, por que ela pode ser encontrada nas carnes e no fígado ?

A presença de vitamina B12 nas carnes se deve ao fato de que os animais ingerem ou absorvem (quando produzidas pelas bactérias do seu trato gastrointestinal) a vitamina (produzida pelas bactérias).

A presença de vitamina B12 no leite e nos ovos se deve à passagem dela do animal para as suas secreções.

Aliás, 50 a 90 % da vitamina ingerida pelos animais é estocada no fígado. Por isso o fígado é citado como o principal “alimento” para obtenção de B12 e de alguns outros nutrientes.

A cobalamina não pode ser encontrada em alimentos de origem vegetal ?

Vamos deixar isso bem claro: quem produz essa vitamina são as bactérias !!

Da mesma forma que frango e peixe não são vegetais, bactérias também não são vegetais.

Plantas não produzem vitamina B12 !!!

Além disso, a B12 não é necessária para o metabolismo das plantas e, por isso, ela não é absorvida pelo vegetal.

Portanto, se existir B12 em qualquer alimento de origem vegetal isso ocorreu por contaminação bacteriana.

Pode também ocorrer vitamina B12 por contaminação das carnes, mas o alto teor de cobalamina existente nelas se deve à sua presença na própria carne (ingestão e absorção do animal) e não por contaminação.


Curiosidade

Morcegos de fruta obtêm B12 pelo consumo inadvertido de insetos nas frutas.

Morcegos mantidos em cativeiro recebendo uma dieta com frutas limpas (lavadas) morrem de neuropatia (doença dos nervos) decorrente de falta de B12 em 9 meses.


Nós temos bactérias no intestino grosso. Elas são capazes de produzir B12 para nós ?

Capazes de produzir sim. O problema é absorvê-la.

Os principais microorganismos intestinais que produzem a B12 se chamam actinomices.

Veremos mais adiante que o local que essas bactérias habitam (intestino grosso) é posterior ao local de absorção (60 cm finais do intestino delgado).

Não somos ruminantes. Não temos várias câmaras gástricas e nem a mesma abundância de flora desses animais. Não somos capazes de adquirir a B12 da mesma forma que as vacas.

Os estudos publicados até o momento, onde a flora intestinal humana foi otimizada na tentativa de melhorar a B12 do organismo, falharam em demonstrar que isso é possível.

A Índia é um país pobre onde as condições de higiene são precárias e grande parte da população come com a mão. Tudo a favor das bactérias e da proliferação de B12.

Um estudo na Índia com 15.000 pessoas, quase todas vegetarianas demonstrou que 54 % tinham baixas concentrações sanguíneas de B12.

Portanto: não confie nas bactérias como fonte de cobalamina na dieta vegetariana!


Vegetarianos ingerem menos B12 ?

Depende da quantidade de produtos animais ingeridos e de quem estamos comparando.

Alguns estudos demonstraram que onívoros:

Homens comendo 2400 kcal e 70 g de proteína – ingeriam 5,2 mcg de B12 por dia
Mulheres comendo 1400 kcal e 53 g de proteína – ingeriram 5,6 mcg de B12 por dia

A ingestão de fígado contribuía para essas diferenças.

Ingestão com a dieta vegetariana: 0,25 a 0,5 mcg/dia – proveniente principalmente de derivados de leite ou ovos ingeridos, assim como de alimentos fortificados.

Tudo é uma questão de comparação! Se um onívoro come poucos derivados animais, e um vegetariano come mais derivados animais, o vegetariano pode ingerir mais B12 que o onívoro.


Não dê mole para a B12!

O que leva as pessoas a se preocuparem com a B12 na dieta vegetariana é o fato dela poder estar ausente nos alimentos escolhidos (no caso dos veganos) ou em baixa quantidade (no caso dos ovolactovegetarianos).

No entanto, não podemos considerar apenas o que comemos, mas sim o que nosso organismo é capaz de fazer com o que comemos. A B12 é muito mais influenciada pelo nosso metabolismo do que pela quantidade que ingerimos.

Veja as como a deficiência está distribuída:

Vegetarianos: 50% dos indivíduos têm deficiência
Onívoros: 40% dos indivíduos têm deficiência.

Vamos conversar mais sobre essa questão mais à frente.

Inúmeros estudos demonstram que vegetarianos têm níveis sanguíneos mais baixos de B12 do que onívoros. No entanto, esses dados mostram que os onívoros também não apresentam níveis adequados da vitamina.

Se eu cozinhar o alimento perderei a B12 contida nele ?

A vitamina B12 é termoestável, ou seja, resiste à elevação de temperatura.

Pesquisas demonstram que ela se mantém estável a 100oC por longos períodos. Portanto ela resiste ao cozimento !

No entanto, a cobalamina é destruída na presença de pH > 9, oxigênio, íons metálicos (Cu, Mo, Mn) e agentes redutores (ascorbato).

Com relação à destruição por oxigênio, devemos lembrar que no alimento ela está protegida, pois se encontra ligada aos nutrientes.

As fontes de vitamina B12 (em mcg) nos alimentos (em 100 g):

Alimento Teor de B12 (em mcg)
Queijo mussarela 0,73 a 2,31
Queijo prato 1,50
Ricota 0,29 a 0,34
Ovo mexido (de galinha) 0,77
Leite de vaca semi-desnatado 0,46
Carne de frango sem gordura 0,40
Músculo bovino 3,16
Fígado bovino 70,58
Presunto magro 0,75
Bacon 0,00


Alguns alimentos no mercado brasileiro já são fortificados com essa vitamina.

Já ouviu falar sobre os análogos da Vitamina B12 ?

Existem algumas substâncias ingeridas muito parecidas com a vitamina B12, mas que não têm a mesma função dela. São os chamados análogos da vitamina B12.

Os análogos da B12 podem ser produzidos por técnicas de preservação de alimentos, pelo cozimento, pela microflora intestinal (as bactérias intestinais) e por algumas bactérias presentes em alimentos ou algas.

Esses análogos podem interferir com a absorção da B12 verdadeira (atrapalha a sua ligação com uma substância chamada Fator Intrínseco) ou apresentar efeitos tóxicos se absorvidos.

Alimentos não confiáveis como fonte de B12

Alimentos como algas marinhas e espirulina podem conter análogos da B12.

As algas, por um processo simbiótico com bactérias podem incorporar a B12 produzida pelas bactérias. As mais ricas são as Chlorella e Nori, mas os estudos sugerem que a B12 que elas contêm são inativas no nosso organismo. Além disso, podem alterar o exame de sangue (dosagem da B12), fazendo com que ela pareça mais elevada do que de fato é.

Nem as algas e nem os produtos fermentados de soja (missô, temphê, shoyu) podem ser considerados fontes confiáveis de B12.

O METABOLISMO DA VITAMINA B12

Para compreender melhor a cobalamina precisamos entender o seu metabolismo. Vamos lá!

Sempre que vamos estudar bioquímica ou fisiologia precisamos primeiro conhecer as regras do assunto. Eis as regras:

1- Só para relembrar a anatomia, a ordem dos compartimentos na digestão é (em negrito estão os pontos principais para entender a vitamina B12):
-    boca (tem enzimas digestivas e pH alcalino)
-    esôfago (serve apenas como passagem para o alimento). Mede 25 cm.
-    estômago (armazena e digere os alimentos, principalmente protéicos. Tem pH ácido). Mede 25 cm. Produz uma substância chamada fator intrínseco (guarde bem essa informação sobre o fator intrínseco. Ela será necessária para a leitura do resto do texto !!!)
-    Intestino delgado. É dividido em 3 porções:
a)    duodeno (tem cerca de 25 cm, recebe as secreções digestivas do pâncreas e da vesícula biliar e alcaliniza o conteúdo gástrico proveniente do estômago)
b)    Jejuno – mede 2 a 3 metros – função de absorção, principalmente.
c)    Íleo – mede 3 a 4 metros – função de absorção, principalmente.
-    Intestino grosso (Tem cerca de 1,5 m, alta concentração de bactérias e função de absorção de líquidos e outras substâncias)

2- quando ingerimos um alimento com B12 precisamos torná-la disponível. Aí entra o processo digestivo. Não existe B12 livre nos alimentos. É necessário haver ácido no estômago para que a B12 seja retirada dos alimentos.

3- É absolutamente necessário haver a produção de uma substância chamada Fator intrínseco. Quem produz o fator intrínseco é o estômago.

4- A vitamina B12 não consegue ser absorvida sozinha. Para ser absorvida ela precisa estar ligada ao Fator intrínseco. Portanto: se não há Fator intrínseco não há absorção de B12.

5- O Fator intrínseco só consegue se ligar à B12 em pH alcalino.

6- A absorção da B12 (ligada ao Fator intrínseco) ocorre no íleo terminal.

Vamos ver então como tudo ocorre.

Escreverei FI no lugar de Fator intrínseco.

Ao ingerirmos um alimento com B12, precisamos deixar essa B12 disponível para ser ligada ao FI.

Começa a digestão. O estômago é o principal órgão responsável pela liberação da B12 do alimento, através das suas enzimas, em pH ácido.

Ok: B12 liberada do alimento no estômago. Vamos unir o FI com a B12. Essa ligação ocorre no intestino (pH alcalino).

Agora temos a vitamina B12 ligada com o FI.

No final do intestino (nos últimos 60 cm do íleo terminal) esse complexo (FI + B12) é absorvido.

Essa absorção também depende de cálcio, pH alcalino (maior que 6) e componentes da bile (composto liberado pela vesícula biliar).

Pontos importantes

1- Quem tem estômago menos ácido, inclusive provocado pelo uso de anti-ácidos, tem risco maior de deficiência de B12.

2- Algumas pessoas têm problemas em produzir o Fator Intrínseco. Isso faz com que tenham dificuldade de absorver a B12, independente de consumirem boas fontes. A anemia decorrente dessa falha recebe um nome específico: anemia perniciosa.

3- Há um limite de absorção para a quantidade de B12 ingerida em uma única refeição.

A explicação se deve ao fato de que os transportadores do FI + B12 ficam cheios (saturados) e não conseguem absorver mais do que a oferta.

Podemos absorver em uma única refeição  1 a 1, 5 mcg de B12. 

A capacidade de absorção volta ao normal após 4 a 6 h da primeira dose.

Assim, podemos absorver de 1 a 1,5 mcg a cada 4 a 6 horas.

Portanto, se forem feitas 3 refeições com boa quantidade de B12 podemos absorver 4,5 mcg por dia.

4- A maior concentração de bactérias intestinais está presente no intestino grosso, que é posterior ao local de absorção (intestino delgado final, ou íleo terminal). Temos uma válvula que impede que o conteúdo do intestino grosso volte ao delgado. Se essa válvula está incompetente, o retorno do conteúdo fecal piora a absorção da B12 no intestino delgado.

O que ocorre depois que a vitamina B12 é absorvida ?

Ela é transportada para diversas células. Ocorrem diversas reações complexas.

Dessas reações, o que é interessante saber é que quando há pouca vitamina B12 o nível sanguíneo de 2 compostos ficam elevados:  o Ácido Metilmalônico e a Homocisteína.

Por que saber isso ?

Porque podemos dosar essas substâncias no sangue. Se encontrarmos os seus valores elevados é possível que haja falta de B12.

No entanto, essa dosagem é completamente dispensável para a avaliação da B12.

O ARMAZENAMENTO E O CONSUMO DA B12

Quanto um adulto pode armazenar de Vitamina B12 ?

Cerca de 3 a 5 mg.

Aproximadamente 50 a 90 % está no fígado.

Se o estômago for completamente retirado (gastrectomia total) ocorrerá falta do FI. Quanto tempo irá demorar para surgir anemia por deficiência de B12 ?

O tempo depende do estoque de B12 que a pessoa tem antes da cirurgia.

Alguns autores demonstraram que isso geralmente demora de 4 a 7 anos quando os estoques estão cheios.

Por que demora esse tempo todo ?

O que ocorre é que o organismo tem meios de reaproveitar a vitamina.

O nosso próprio organismo elimina uma pequena quantidade de B12. Ela é lançada no intestino pela vesícula biliar e sai pelas fezes.

Ao invés de eliminá-la pelas fezes o nosso organismo consegue colocá-la de volta no organismo. Esse ciclo é chamado de ciclo êntero-hepático (ciclo que leva a vitamina do êntero (intestino) para o hepático (fígado)).

Esse ciclo reaproveita 1 mcg/dia de B12, o que corresponde a 10 a 60% da vitamina que é excretada por essa via.

Somando os fatos:

Estoque de B12 3 a 5 mg (3.000 a 5.000 mcg)
Reaproveitamento 1 mcg/d  (ciclo êntero-hepático)


Se não ingerirmos nada de B12 (ou não tivermos mais o FI) os nossos estoques serão suficientes para 2500 dias (6,8 anos) ou mais.

Mas atenção!! Jamais confie nesse cálculo!! Ele é apenas para divertir quem estuda fisiologia, pois como as variações individuais são muito grandes, não encontramos isso na prática.

Encontramos inclusive pessoas com elevada ingestão de B12 com deficiência.


Quem ingere muita B12 também pode ter deficiência!

Parece estranho, mas é verdade.

A B12 tem uma capacidade limitada de ser absorvida, mas um potencial muito elevado de ser utilizada pelo corpo em situações distintas.

Pessoas com atividade intelectual ou mental excessiva tendem a consumir mais B12.

Além disso, nossa vesícula biliar pode lançar até 10 mcg de B12 ao intestino diariamente. Se o potencial de absorção do nosso organismo não for bom, perderemos quase a totalidade dela. Lembre-se de que, uma dieta onívora pode não alcançar essa quantidade de B12. E mesmo que alcance, não é adequado que a pessoa consuma todas as fontes de uma só vez, pois conseguimos absorver até 1,5 mcg a cada 4 ou 6 horas.

Assim, na melhora das possibilidades (absorvendo 1,5 mcg a cada 4 horas), o máximo de absorção pelo alimento será 9 mcg por dia.

Isso quer dizer que a pessoa pode ficar com um balanço negativo, mesmo comendo adequadamente.

A DEFICIÊNCIA DE VITAMINA B12

Os sinais e sintomas da deficiência de B12

Os sintomas neurológicos são os predominantes na falta de B12. Raramente encontramos anemia por deficiência de B12.

Na deficiência de B12 a célula vermelha (blasto) fica grande (mega), e por isso chamamos a anemia (quando ela ocorre) de megaloblástica.

Os sintomas mais comuns que encontro em consultório são ligados à redução da atividade cognitiva (concentração, memória e atenção), com desconforto para as atividades intelectuais, levando à dispersão, queixa de memória, além de formigamento nas pernas após pouco tempo com elas cruzadas.

Esses sintomas regridem após uso da B12.

Outras associações que ocorrem na deficiência: ateroma (acúmulo de placas de gordura nos vasos sanguíneos), defeito de formação do tubo neural (alteração que faz com que crianças nasçam com sérias alterações na coluna vertebral e paralisia das pernas irreversível), esteatose hepática (acúmulo de gordura no fígado).

Em estágios mais avançados, a pessoa pode ter sintomas psiquiátricos (depressão, transtorno obscessivo-compulsivo, manias) e pode até entrar em coma.


Como pode ocorrer a deficiência por B12 ?

Existem algumas formas de ocorrer deficiência de B12. Vejamos as mais comuns :

1) Por deficiência alimentar
Isso só pode ocorrer se não houver ingestão de alimentos de origem animal (carnes, ovos e lácteos); portanto nos veganos.

2) Distúrbios da absorção de B12

a)    Má absorção da cobalamina alimentar

Ocorre em pessoas com pouca secreção de ácido no estômago (lembre-se de que a B12 precisa ser separada do alimento e isso ocorre principalmente no estômago, em meio ao pH ácido).

Essa situação é mais comum em idosos (podem apresentar hipocloridria – pouco ácido no estômago). Pode ocorrer também em pacientes que tiveram o estômago retirado em cirurgias (tumores, por exemplo).

b)    Insuficiência pancreática

Alteração da secreção do pâncreas e dificulta a ligação da B12 com o FI.

Esse tipo de alteração pode ser decorrente do alcoolismo.

c)    Alteração no funcionamento do FI (Fator Intrínseco)

Alguns indivíduos podem ter alterações no sistema imunológico fazendo com que as suas células de defesa destruam outras células benéficas do próprio organismo. Isso se chama alteração auto-imune com produção de auto-anticorpos.

Isso pode ocorrer com o FI. O organismo cria anticorpos que destroem ou atrapalham a absorção do FI.

Sem FI disponível não conseguimos absorver a B12.

Esse tipo de anemia se chama anemia perniciosa.

d)    Infestação de bactérias no intestino delgado

A contaminação de bactérias do intestino grosso no intestino delgado chama-se “Síndrome do intestino delgado contaminado”.

As bactérias intrusas competem com o nosso organismo para consumir a B12 que chega ao final do intestino delgado (lembre-se que a absorção do FI+B12 ocorre nos 60 cm finais do intestino delgado).

Esse tipo de complicação pode ocorrer em pessoas com divertículos (com estagnação), passagem anormal do cólon para o delgado (fístulas) ou estreitamentos intestinais (doenças inflamatórias intestinais).

**OBS – o intestino grosso tem 10.000 vezes mais bactérias do que qualquer outra região do trato gastrointestinal.

e)    Ressecção intestinal

Pacientes que realizaram cirurgias e não têm mais o final do intestino delgado e podem desenvolver deficiência.    

f) Doenças que cursam com má absorção alimentar

Aqui são incluídas diversas condições ou doenças que podem causar má absorção (não apenas de B12). Exemplos: sensibilidade ao glúten, lesão por radiação (radioterapia para pacientes com câncer em região abdominal).

g) Interação medicamentosa

Inúmeros medicamentos podem dificultar a absorção da B12.

3) Por perda ou excesso de consumo do organismo

Na prática, observo ser o motivo mais frequente.

Podemos perder pelas vias biliares (que lançam a B12 do sangue ao intestino).

Podemos consumir demais pela demanda intelectural.

O DIAGNÓSTICO DA DEFICIÊNCIA DE B12

Como saber se estou com deficiência de B12 ?

Fique atento aos sinais e sintomas da deficiência vitamínica.

Porém isso apenas não é suficiente.

O diagnóstico de deficiência de B12 não pode ser feito baseado apenas nos sinais e sintomas de um indivíduo.

A constatação por exames laboratoriais é muito importante.

Muitos estudos demonstraram que cerca da metade dos indivíduos que têm a vitamina B12 em níveis baixos no sangue não apresentam sintomas consideráveis. Eu percebo que eles têm sintomas, mas nem imaginam que é por falta de B12.

O acompanhamento médico é fundamental.

Quais são os exames laboratoriais que podemos utilizar ?

Alguns exames podem auxiliar no diagnóstico.
Na prática, basta a B12.

Hemograma: pode demonstrar a anemia (hemoglobina e hematócrito reduzidos) e o tamanho da célula (a parte do hemograma que mostra o tamanho é o VCM – volume corpuscular médio).
Se a anemia se torna mais grave ocorre diminuição das células de defesa (neutropenia) e das plaquetas (trombocitopenia).

Atenção :

Pessoas com baixa concentração de B12 no sangue podem mostrar células de tamanho normal. Portanto: hemograma normal não significa B12 normal no sangue !!


Lembra daquele estudo comentado anteriormente da Índia com 15.000 pessoas, quase todas vegetarianas, que demonstrou que 54 % tinham baixas concentrações sanguíneas de B12? Esse estudo demonstrou que apenas 10 pacientes por ano eram vistos no hospital local com anemia megaloblástica.

Reticulócitos:
são as células vermelhas jovens. Na deficiência de B12 os seus níveis sanguíneos ficam reduzidos (para o grau da anemia). Esse exame pode ser influenciado por outros nutrientes e condições clinicas.

Dosagem de B12 no sangue: é o método padrão para diagnosticar deficiência de B12 (definida quando o valor está abaixo de 150 ou 200 pg/ml, dependendo do método de dosagem utilizado). No entanto já foi observado deficiência em pessoas com níveis normais de B12 no exame (350 pg/ml).
Vitamina B12 abaixo de 490 pg/ml (quando a referência vai de cerca de 200 a 900 pg/mL) deve ser corrigida!

Ácido Metilmalônico: Na deficiência de B12 ocorre aumento do ácido metilmalônico (esse aumento não ocorre na deficiência de ácido fólico). Esse aumento pode ser detectado no sangue e na urina.
Esse exame é caro e, na prática clínica, dispensável. É usado mais para pesquisas clínicas.

Homocisteína: se eleva na deficiência de B12 (e também na de B9 e B6). Algumas doenças como hipotireoidismo e doença de Down podem alterar o nível desse composto, assim como diversos medicamentos. A avaliação da homocisteína exige muitos cuidados. Esse exame pode ser dispensado para a avaliação da B12.

Holotrascobalamina II: é a proteína que transporta a B12 no sangue. Não costuma ser feito no Brasil. Como você pode imaginar, é extremamente caro.

Dosagem sanguínea de anticorpo anticélula parietal e de anticorpo bloqueador do fator intrínseco: serve para diagnosticar a anemia perniciosa. O anticorpo bloqueador do FI é mais específico.

Dosagem de folato (vitamina B9) no sangue: pode ser usado na dúvida da etiologia da anemia (B 12 ou B9). A dieta vegetariana é rica em vitamina B9 (ácido fólico). Isso pode mascarar a deficiência de B12, que muitas vezes só é diagnosticada quando surgem alterações no sistema nervoso. A deficiência de B9 causa manifestações muito parecidas com as da deficiência de B12, exceto pela neuropatia.

Atenção !! Todo exame laboratorial deve ser corretamente interpretado pelo seu médico!


TRATANDO A DEFICIÊNCIA DE B12

Para elevar os níveis de B12 no organismo e assim tratar a deficiência há algumas possibilidades:

1-   Via injetável

Eu já utilizei muito essa forma de correção e raramente utilizo atualmente, pois a via oral (desde que em dose adequada e por período adequado), é muito mais eficiente e fisiológica para essa correção.  Eu não sugiro mais essa forma de correção. Costumo deixar a via injetável para quadros de emergência neurológica por privação de B12.

Essa forma de tratamento (via injetável) é a mais antiga e mais conhecida pelos médicos. Sendo assim, é a mais utilizada e divulgada.

2- Via oral

A via oral também pode ser utilizada para tratar a deficiência, desde que o seu médico saiba prescrever a quantidade e freqüência necessária para tratá-la.

Essa forma de correção pode ser muito segura, mesmo para quem nao tem estômago. Mas atenção! A dose a ser utilizada é o que determina a segurança dessa forma de uso.

É a forma que tenho recomendado.

Quando menos de 5 mcg de B12 cristalina é ingerida de uma só vez, cerca de 60% é absorvida.
Quando se usa uma dose de 5000 mcg, cerca de 1% é absorvida.

Não há relato de toxicidade pelo uso excessivo de B12.

A resposta após o tratamento com B12.

A via injetável traz efeitos muito rápidos de bem estar em quem tem deficiência de B12, mas pode trazer alterações em alguns minerais no organismo, com efeitos finais nocivos ao organismo.

A B12 injetável leva ao aumento rápido da B12 sanguínea, mas tende a ocorrer redução rápida também.

A via oral (em dose adequada e por tempo adequado) apresenta resultados excelentes e duradouros no tratamento da deficiência. É a forma que tenho feito há alguns anos com resultados excelentes.

A manutenção da vitamina B12

Nesse momento vamos entender que os seus níveis de B12 estão adequados, e pretendemos mantê-los adequados.

1- Com o uso da B12 diária, por via oral

A dose preconizada para isso é de 5 mcg de B12 por comprimido, no mínimo. Alguns suplementos no mercado apresentam doses maiores do que essa, como 10 ou 15 mcg. Não há problema em utilizá-los.

Na minha experiência profissional, verifico que essa dose é insuficiente para manter os níveis adequados. São pouquíssimas pessoas que conseguem fazer uma manutenção com doses tão baixas.

2- Com o uso da B12 semanal, por via oral

A dose de manutenção preconizada para ser tomada 1 vez por semana é de 2.000 mcg.

No entanto, na minha prática profissional, também observo que essa dose não é adequada. A dose para uso semanal, além de individual, para ser eficiente, deve ser bem maior que essa.

3- Com o uso da forma injetável

Para isso pode ser utilizada uma aplicação de B12 com cerca de 5.000 UI a cada 6 meses ou um ano.

Essa é a recomendação médica que existe na literatura e que eu mesmo prescrevi por algum tempo. No entanto, atualmente raramente prescrevo dessa forma, pois tenho visto que a via oral é muito mais eficiente.

Sugiro não confiar na aplicação semestral da B12 intramuscular.

4- Com a alimentação

Muito cuidado aqui!! Os alimentos que contém B12 ativa são as carnes, queijos, leite e ovos, além dos alimentos enriquecidos.

A ingestão de B12 por meio de derivados animais precisa ser constante e em quantidade adequada. Apenas para termos uma idéia, a quantidade de leite necessária para conseguirmos uma quantidade diária mínima de B12 seria de cerca de 650 mL por dia.


Se eu consumir mais alimentos integrais e melhorar minha flora intestinal, vou melhorar a absorção de B12?

O uso de alimentos integrais melhora a flora intestinal. Isso pode até ocasionar uma maior produção de B12, mas ela não será absorvida de forma eficiente.

Pelos inúmeros motivos descritos anteriormente nem a sua flora e nem qualquer alimento de origem vegetal (nem algas e nem fermentados !!!) são capazes de suprir adequadamente a vitamina B12.

  • Hits: 107140