Problemas de Saúde

Colesterol

As doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no Brasil.

As suas manifestações mais conhecidas são o infarto agudo do miocárdio (músculo cardíaco), insuficiência cardíaca e morte súbita.

A redução dos níveis sanguíneos de colesterol é ima intervenção eficaz na redução do surgimento das doenças cardiovasculares.

Estudos demonstram que para cada redução de 10% de colesterol no sangue, há uma redução de 15% do risco de morte por doenças cardiovasculares.

Dislipidemias (alteração das gorduras no sangue)

No Brasil, o excesso de colesterol no sangue (definido como um valor maior do que 200 mg/dL) ocorre em 38% dos homens e 42% das mulheres.

Os níveis mais elevados são encontrados nos idosos e nas mulheres.

Uma reunião de 9 estudos, apontou uma redução do colesterol em 14% nos ovolactovegetarianos e 35% nos vegetarianos estritos quando comparados com os onívoros.

Outro estudo, reunindo 76.000 pessoas demonstrou que, quando comparado com os onívoros, os vegetarianos apresentavam redução de mortalidade por doenças cardiovasculares em 31% nos homens e 20% nas mulheres.

Que é o colesterol?

O colesterol não é um componente nocivo. Ele é vital para o funcionamento do organismo, desempenhando diversas funções, fazendo parte das membranas das células e sendo utilizado como matéria-prima para a produção de vitamina D e diversos hormônios.

O problema é quando ele está em excesso, ou quando os seus transportadores estão desbalanceados!

Importante

A maior fonte de colesterol no organismo é a produção pelo nosso fígado. Isso mesmo! Cerca de 80% do colesterol que circula no organismo de um onívoro foi produzido pelo fígado e cerca de 20% vem da dieta.

Portanto, tão importante quanto reduzir a ingestão de colesterol, é ajustar a produção dele pelo fígado.

Colesterol bom e ruim

Você já deve ter ouvido falar que existe o colesterol bom e o ruim, não ouviu? Isso é mentira! Colesterol é colesterol, não tem um tipo bom e outro ruim. O que existe são transportadores de colesterol diferentes no sangue. Como esses transportadores são proteínas (que carregam os lipídios), são chamados de lipoproteínas.

É importante que não haja muita gordura no sangue, pois isso pode acelerar a obstrução de vasos sanguíneos.

A lipoproteína que leva o colesterol dos depósitos para o sangue é a LDL (low density lipoprotein), sendo popularmente conhecida como o colesterol ruim.

A lipoproteína que leva o colesterol do sangue para os depósitos é a HDL (high density lipoprotein), popularmente conhecida como colesterol bom, já que “limpa” o colesterol circulante.

Portanto, é bom termos o LDL baixo e o HDL alto.

A formação da placa de gordura nos vasos sanguíneos

A formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos pode ter relação com o colesterol em excesso circulante.

A longo prazo isso pode causar uma obstrução ao fluxo de sangue e ao local que esse vaso irriga. Imagine isso ocorrendo num vasinho do coração.

O local que esse vasinho levava sangue ao músculo cardíaco fica sem oxigênio (já que é através do sangue que o oxigênio é levado aos tecidos), ocorrendo o sofrimento e até a morte dessa musculatura. Isso é um infarto do miocárdio.

A aterosclerose é um processo silencioso

A progressão do entupimento dos vasos é um processo que não traz sintoma precoce. Metade das pessoas têm a sua primeira manifestação através de um infarto.

Não descuide! Faça anualmente uma avaliação médica e a dosagem dos níveis sanguíneos do colesterol.

Avaliação laboratorial das dislipidemias

Para a avaliação é necessário que você esteja em jejum por 10 horas por causa dos triglicérides.

Avaliamos os níveis de colesterol total, HDL, LDL e dos triglicérides do sangue.

As minhas gorduras no sangue estão alteradas. O que devo fazer?

Isso depende dos motivos que estão levando à essa alteração.

A conduta pode ser medicamentosa, ligada a exercícios ou alimentação. ´Eimportante uma avaliação médica para saber por onde começar o tratamento.


TERAPIA NUTRICIONAL

Colesterol e gorduras saturadas

As gorduras (tipo e quantidade) presentes nos alimentos influenciam os níveis de colesterol no sangue.

Existe um limite na absorção intestinal do colesterol ingerido. A maioria da população absorve metade do colesterol ingerido, enquanto pequena parte absorve maior quantidade. O colesterol é encontrado apenas em alimentos de origem animal.

Já a absorção de gordura saturada é ilimitada. A sua ingestão promove impacto negativo nos níveis de colesterol. Para reduzi-la, restrinja a ingestão de gordura animal.

Reduza a ingestão de ácido láurico (óleo de coco), ácido mirístico (gorduras animais, óleo de coco, leite e derivados) e ácido palmítico (gorduras animais e azeite de dendê).

Ácidos graxos insaturados

A substituição (mantendo o mesmo número de calorias) de gordura saturada por gorduras poliinsaturadas (principalmente ômega-6, encontrado no óleo de soja, milho e girassol) reduz o colesterol total e o LDL. O inconveniente do ômega-6 é que ele reduz o HDL, se utilizado em grande quantidade.

O ômega-3 (linhaça, canola e soja) reduz os triglicérides e também a viscosidade do sangue; tem um efeito antiinflamatório e previne trombose.

O ômega-9 (azeite de oliva, canola, abacate, nozes, amêndoas) atua da mesma forma que o ômega-6, mas tem um efeito mais adequado por reduzir o colesterol total e o LDL, mas sem reduzir o HDL. Os dados oriundos do ômega-9 são controversos. Há estudos que não mostraram essa melhora de HDL com uso de azeite de oliva.

Ácidos graxos trans

São formados durante o processo de hidrogenação de óleos vegetais.

Eles elevam os triglicéride e o LDL e reduzem o HDL, ou seja: tudo de ruim!!

Muito cuidado com a gordura vegetal hidrogenada: sorvetes cremosos, chocolates, pães recheados, molhos prontos para salada, sobremesas cremosas, biscoitos recheados, alimentos crocantes (nuggets, croissants, tortas), bolos industrializados, margarinas duras e “fast foods”.


Fibras

As fibras chamadas solúveis (feijões, aveia, cevadinha, maçã) reduzem o tempo de trânsito intestinal e a absorção do colesterol. O farelo de aveia é um dos alimentos mais ricos nesse tipo de fibra. Um fato interessante da fibra solúvel é que quando elas chegam ao intestino grosso, as bactérias a utilizam e produzem alguns tipos de gorduras que chamamos de ácidos graxos de cadeia curta. Esses ácidos são absorvidos, vão até o fígado e reduzem a produção de colesterol que ele sintetiza.

Fitoesteróis

São encontrados apenas em vegetais.

Eles competem com o colesterol para serem absorvidos, reduzindo assim a absorção do colesterol. A ingestão necessária para reduzir em 10 a 15% o LDL é de 2 g/dia. Uma dieta onívora balanceada fornece 200 a 400 mg de fitoesteróis. Não dispomos de dados com relação à ingestão em dietas vegetarianas.

Proteína de soja

A ingestão de 25 gramas por dia de proteína de soja reduz o LDL do sangue em 6%.

Antioxidantes

Os antioxidantes são fundamentais para manter as lipoproteínas íntegras e evitar que a gordura que elas carregam sejam “jogadas” nos vasos sanguíneos.

Os flavonóides (qüercitina, campferol, miricetina e crisina) são antioxidantes encontrados em diversos alimentos (verduras, cereja, amora, uva, morango, jabuticaba, grãos, sementes, castanhas, condimentos, ervas, suco de uva, vinho e chá).

Outros antioxidantes são as vitaminas E, C e o beta-caroteno.

A alimentação adequada é considerada a melhor forma de adquirir esses componentes, não havendo recomendação sistematizada para suplementação.

Café

Os grãos de café contém duas substâncias (cafestol e Kahweol) que elevam o colesterol. Quando se faz o café e ele é coado em filtro de papel, parte dessas substâncias são separadas da bebida.

O café feito em coador de pano, ou do tipo expresso deve ser evitado.

Álcool

Deve ser completamente abolido para quem tem triglicérides elevado.

Com relação ao colesterol, parece ter efeito positivo (aumentando o HDL e inibindo a agregação plaquetária) quando consumido com moderação (350 mL de cerveja, 30 mL de destilado e 100 mL de vinho por dia).

Muita atenção aqui! Apesar desse efeito positivo sobre o colesterol, o efeito do álcool é desastroso sobre o açúcar no sangue (diabéticos), aumenta a pressão arterial, causa alterações gastrointestinais, câncer de pâncreas e cirrose.

ATIVIDADE FÍSICA

A atividade física aeróbia, praticada regularmente, reduz os níveis sanguíneos de triglicérides e aumenta o de HDL. Os níveis de LDL não são modificados de forma significativa, mas a sua renovação no sangue é mais rápida, o que também reduz o risco de doenças cardiovasculares. Seria algo como “não deixar o LDL ficar velho”.

Pessoas que têm problemas cardiovasculares devem praticar atividade física supervisionados por uma equipe multiprofissional.

Quando entra a medicação no tratamento do colesterol elevado?

A medicação deve ser instituída em duas condições:

a) Quando as modificações no estilo de vida não apresentam efeito satisfatório na redução do colesterol;

b) quando o risco à saúde da pessoa é elevado a ponto de não podermos aguardar o tratamento baseado na alimentação e estilo de vida surtir efeito.

Durante o uso da medicação as medidas comportamentais e nutricionais sempre devem ser seguidas. Medicação não significa poder voltar a se alimentar inadequadamente.

  • Hits: 9277